Willames Costa

Compromisso com a informação

Mundo

Obama reforça compromisso com economia e classe média dos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deu início a um esforço extra neste sábado para restabelecer a economia americana e incentivar as empresas a manter postos de trabalho no país, em vez de terceiriza-los no exterior.

Durante seu discurso semanal em áudio e vídeo, Obama ressaltou que o maior desafio do país “é restabelecer a economia de modo que o trabalho duro novamente obtenha resultados”, ao mesmo tempo em que colocou a confiança da classe média como prioridade, visando as próximas eleições.

“Temos que continuar reconstruindo nossa economia de modo que todos tenham uma oportunidade justa, todos façam o que é justo fazer, e todos obedeçam às mesmas regras”, disse. “Não podemos retornar à época em que o sistema financeiro plantava armadilhas para os habitantes comuns e correntes”.

O presidente americano destacou em sua fala as empresas que levaram de volta os empregos ao território americano, dizendo que essa é uma forma de reforçar o mercado de trabalho dos EUA e fortalecer a economia.

Segundo ele, a Casa Branca planeja realizar um fórum na quarta-feira que reunirá os líderes de negócios que trouxeram vagas empregos de volta para os EUA. O presidente disse que o evento vai discutir como outros líderes empresariais podem fazer o mesmo pelo país.

“Nós ouviremos líderes empresariais que estão trazendo empregos de volta para casa e veremos como nós podemos ajudar outras empresas a seguir esse exemplo”, afirmou Obama

Executivos de mais de uma dúzia de empresas participarão do evento, inclusive a fabricante de cadeados Master Lock, a companhia de móveis Lincolnton Furniture, a desenvolvedora de software GalaxE Solutions e a companhia química DuPont.

Obama afirmou que sua “resolução de Ano Novo” a todos os americanos era de “continuar a fazer o que for preciso para mover a economia para a frente, e se certificar de que as famílias de classe média recuperassem a segurança que perderam na última década.”

Com base nos indicadores mais recentes sobre o mercado de trabalho dos EUA, Obama disse que o país está indo na direção certa.

EMPREGOS

A economia americana deu ontem mais um sinal de fortalecimento, com nova queda do desemprego. Os EUA criaram 200 mil vagas no mês passado, e a taxa de desemprego ficou em 8,5%, a menor desde fevereiro de 2009, no início do governo Barack Obama.

De acordo com a emissora britânica BBC, em um momento em que diferentes pesquisas mostram que a economia e o desemprego são as maiores preocupações dos eleitores americanos, os novos dados sobre o mercado de trabalho representam uma boa notícia para o presidente Barack Obama, em busca de um segundo mandato.

“Depois de perdermos mais de 8 milhões de empregos na recessão, obviamente temos muito mais trabalho a fazer. Mas é importante que o povo americano reconheça que nós geramos 3,2 milhões de novos empregos privados nos últimos 22 meses”, disse, em visita à agência de Proteção Financeira do Consumidor.

INICIATIVA

A Casa Branca vê uma tendência cada vez maior de empresas decidindo “internalizar” empregos e investir em fábricas nos EUA, de acordo com uma autoridade do governo, e quer encorajar mais empresas a seguir essa tendência.

A prática de empresas norte-americanas transferirem empregos para outros países, como Índia e China, onde a mão de obra é mais barata, é fonte de preocupação para os trabalhadores dos EUA.

O assunto tem forte apelo para Estados industriais do Meio-Oeste, como Ohio e Michigan, que foram golpeados com força não só pela crise econômica de 2007 a 2009, mas também pelos anos de contração do emprego no setor manufatureiro. Muitos destes Estados são campos de batalha vitais para as esperanças de reeleição de Obama.

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *