Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil

Oficiais dizem que governo e mídia acirram revanchismo

Um grupo de militares da reserva e civis, mulheres e crianças se reuniram na quarta para lembrar a “Revolução de 31 de março de 1964” –nome que dão ao golpe que instalou a ditadura militar.

Pernambuco envia projeto para criar sua Comissão da Verdade
Comissão da Verdade é ‘caolha’, afirma filho de Médici
Ato pró-golpe de 64 acaba em tumulto no Rio
Brasil é denunciado na OEA por caso Vladimir Herzog
Grupos contrários se encontram no RJ para lembrar golpe militar

O encontro ocorre todo ano em Brasília ou no Rio, no final de março. A pauta do encontro deste ano foi a Comissão da Verdade, grupo governamental que investigará violações aos direitos humanos no regime –e cuja criação tem acirrado a disputa entre esquerda e direita sobre a memória sobre a ditadura.

Nas rodas de conversa, os militares criticaram a mídia e o governo de Dilma Rousseff –que participou da luta armada contra o regime– por considerarem a Comissão da Verdade uma revanche.

O grupo Ternuma (Terrorismo Nunca Mais) foi o convidado para organizar uma palestra sobre a comissão e o golpe. O coronel reformado Carlos Alberto Brilhante Ustra, que trajava um blazer verde-oliva, foi um dos mais cumprimentados da noite.

Ex-comandante do DOI-Codi (centro de repressão do Exército) de SP, Ustra é acusado de torturar presos políticos, o que ele nega: “Não vou falar nada, meu filho”.

Em sua palestra, o general da reserva Luiz Eduardo Rocha Paiva usou uma apresentação em Powerpoint para defender a “revolução”. Com uma caneta laser, exaltou o salto econômico do período: “Éramos a 46ª economia do mundo e passamos, com a revolução, para a 8ª posição”.

E falou da tortura: “99% das denúncias de tortura eram mentirosas”. Depois, concluiu: “Houve sim tortura, mas agora, sob o regime democrático, há muito mais”.

O evento terminou com Paiva e colegas prometendo lutar “contra mais essa grande injustiça”, a Comissão da Verdade. A plateia aplaudiu.

Fernando Rabelo – 29.mar.12/Folhapress
Policial usa gás de pimenta contra manifestantes que protestavam diante do Clube Militar na quinta-feira (29)
Policial usa gás de pimenta contra manifestantes que protestavam diante do Clube Militar na quinta-feira (29)

Fonte: Da Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *