Willames Costa

Compromisso com a informação

Esporte

Palmeiras vê ataque amargar seu pior desempenho desde 2002

Soltar o grito de gol não tem sido muito habitual para o torcedor do Palmeiras em 2011. Aliás, fazia tempo que o palmeirense não amargava tamanha seca ofensiva.

A equipe de Luiz Felipe Scolari marcou 87 tentos em jogos oficiais nesta temporada. É o pior desempenho desde 2002, quando o time acabou rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro.

Naquele ano, a equipe que começou com Vanderlei Luxemburgo e terminou com Levir Culpi anotou os mesmos 87 gols. Desde então, ano após ano, o ataque sempre foi melhor do que isso, quase sempre ultrapassando a marca de cem tentos.

Juca Varella 28.out.11/Folhapress
Scolari gesticula durante um treino do Palmeiras
Scolari gesticula durante um treino do Palmeiras

Ainda faltam seis jogos para o time terminar 2011. Maikon Leite, Fernandão e companhia podem melhorar a média e superar 2002. Até aqui, o time marcou, em média, 1,4 tento por partida, contra 1,7 daquele fatídico ano.

Ainda é melhor do que o ano passado, quando a média foi de 1,3 –em números absolutos, foram 96 gols feitos em 2010. Mas, a julgar pelo que têm mostrado, os atacantes palmeirenses não deixam muito otimistas seus torcedores.

Artilheiro do ano com 17 gols, Kleber já deixou o Palmeiras. O vice goleador é o questionado Luan, com 12 tentos em 56 jogos; em seguida vem o reserva Patrik, com oito gols em 46 partidas. O celebrado Maikon Leite, que a torcida adora, fez somente três gols em 15 jogos.

Fernandão, que estreou dando a vitória ao time contra o Corinthians, marcou duas vezes em 13 partidas; Ricardo Bueno, em nove jogos, ainda não balançou as redes. Resultado: neste Nacional, o Palmeiras anotou apenas 37 gols e tem o terceiro pior ataque da competição.

Por essas e outras, o Palmeiras não vence há sete partidas. Não é por falta de tentativas. Segundo o Datafolha, o Palmeiras é o time que mais chuta a gol neste Brasileiro. São, em média, 15,5 finalizações certas por confronto.

Ocorre que a pontaria dos palmeirenses ajuda a explicar a estiagem ofensiva. Se o time é o que mais chuta, também é o que mais erra o alvo. A equipe de Scolari tem a pior pontaria do Nacional: apenas 32,3% dos chutes acabam acertando o gol adversário.

Tanto que a principal arma ofensiva do time não é atacante nem meia. O veterano Marcos Assunção, 35, volante, fez oito gols e deu 15 assistências nesta temporada. Machucado, esteve fora dos últimos jogos e pode voltar domingo, no duelo contra o Coritiba, em Barueri.

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *