Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil

Para líder do PT, disputa por vaga do TCU foi de ‘baixa intensidade’

O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Teixeira (SP), avaliou nesta quarta-feira (21) que a escolha da deputada Ana Arraes (PSB-PE) para ministra do TCU (Tribunal de Contas da União) não irá provocar fissuras na base aliada da presidente Dilma Rousseff no Congresso porque foi uma “disputa de baixa intensidade”.

Concorreram à vaga seis candidatos, todos da base aliada. “Não houve disputas que desagregassem, não houve nenhum tipo de problema.”

Câmara elege Ana Arraes para vaga no TCU
PMDB tenta justificar derrota no TCU; candidato vê traição
Definição sobre novo ministro do TCU divide base aliada
Sérgio Brito desiste da disputa por vaga no TCU
Candidata a vaga no TCU nega que apoio do filho seja nepotismo
Campanha de Ana Arraes ao TCU ganha apoio de ‘tropa de choque’

Ele afirmou que liberou os votos da bancada para que “os parlamentares petistas fizessem suas opções individuais” e considerou a eleição de Ana Arraes, com 222 votos, “um bom resultado”.

Sobre se o resultado fortalece nacionalmente o filho da deputada, o governador Eduardo Campos (PSB-PE), que se envolveu pessoalmente na disputa, Teixeira afirmou que é preciso “reconhecer a força dessa família”.

O segundo colocado, com 73 votos a menos, foi o deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP). Ex-presidente da Câmara, ele está no sexto mandato consecutivo. Ele deixou o plenário após saber do resultado com os olhos marejados e evitou comentar a campanha de sua adversária.

A escolhida é filha do ex-governador Miguel Arraes e está no segundo mandato de deputada federal. Foi eleita com o apoio do filho, o governador de Pernambuco.

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *