Willames Costa

Compromisso com a informação

Nacional Política

PMDB faz convenção para reconduzir Temer à presidência do partido

O vice-presidente da República, Michel Temer, discursa durante convenção nacional da Juventude do PMDB, nesta sexta (1), em Brasília (Foto: Ed Ferreira / Agência Estado)
O vice-presidente da República, Michel Temer, discursa durante convenção nacional da Juventude do PMDB, nesta sexta (1), em Brasília (Foto: Ed Ferreira / Agência Estado)

Desde 2001 no comando do PMDB, o vice-presidente da República, Michel Temer, deve ser aclamado neste sábado (2) pelos correligionários para um novo mandato de dois anos à frente do partido. A convenção peemedebista, que elegerá o novo diretório nacional da sigla, será prestigiada pela presidente Dilma Rousseff, que deve discursar no evento.

Convidada por Temer na última terça (26), Dilma deve chegar por volta das 11h ao centro de convenções Brasil 21, em Brasília, palco do encontro, e permanecer cerca de 40 minutos no local.  A convenção vai das 9h às 17h.

Está previsto que a presidente discurse rapidamente para homenagear o principal sócio do PTno governo federal. Dono da maior bancada do Senado e da segunda maior da Câmara dos Deputados, o PMDB aguarda que Dilma faça um gesto de “carinho”, reconhecendo a “importância” do partido na manutenção da estabilidade de sua administração.

“Será uma visita de cortesia. É natural o presidente da República participar desses eventos partidários quando a legenda aliada tem o vice-presidente. É uma cortesia da presidente com o PMDB ela prestigiar a convenção”, disse o presidente em exercício do PMDB, senador Valdir Raupp (RO).

A sigla, contudo, descarta que a presidente aproveite a oportunidade para fazer qualquer sinalização sobre uma eventual reedição, em 2014, da chapa que elegeu Dilma e Temer para o Palácio do Planalto.

Por outro lado, expoentes do próprio PMDBdevem usar os holofotes do evento para reforçar o desejo de que a dobradinha que conduziu Dilma à Presidência seja mantida no ano que vem.

Além de Temer, discursarão no ato partidário os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

Na última quarta (27), a presidente estreitou ainda mais a proximidade com o PMDB ao comparecer a um jantar em homenagem ao ex-presidente do Senado José Sarney (PMDB-AP) no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente da República. Estavam presentes ao evento parlamentares, lideranças e ministros do PMDB.

Na convenção deste sábado, o PMDB elegerá os novos membros do Diretório Nacional, da Comissão de Ética e Disciplina, da Executiva Nacional e do Conselho Fiscal. A sigla também apresentará propostas de mudanças em seu estatuto.
Integrantes do PMDB estudam propor uma alteração no estatuto da legenda, a fim de autorizar que Temer acumule a presidência do partido e a vice-presidência da República.

Atualmente, as regras internas do partido não permitem que membros do Diretório Nacional exerçam cargos no Poder Executivo.

Em razão dessa restrição do estatuto, Temer teve de se licenciar do comando da sigla no momento em que ingressou no Planalto. Na ocasião, ele passou a presidência do PMDB para o senador Valdir Raupp.

Por isso, há a possibilidade de Temer ser reeleito neste sábado e, imediatamente, voltar a se licenciar do cargo, deixando a gestão da legenda, mais uma vez, sob a responsabilidade de Raupp. Segundo o senador de Rondônia, esse é o cenário mais provável.

“Ele [Temer] tem falado que não há a possibilidade de acumular a vice-presidência da República com o comando do partido. A tendência é de que ele se licencie novamente”, ressaltou Raupp.

Cerca de 700 integrantes do PMDB são esperados para o evento partidário na capital federal. Os delegados eleitos pelos diretórios estaduais do partido terão a atribuição de eleger o novo diretório nacional. Essa escolha ocorrerá entre 9h e 15h.

Na sequência, os peemedebistas eleitos para o diretório nacional escolherão a nova executiva nacional da sigla. Como só há uma chapa inscrita para a eleição, a escolha dos novos dirigentes deve ocorrer por aclamação.

Eleições 2014
Com a deflagração antecipada da corrida eleitoral para o ano que vem, os líderes do PMDB pretendem usar o evento deste final de semana para fortalecer os palanques do partido nos estados. Parte de uma estratégia para manter seu espaço no Congresso Nacional, a sigla pretende lançar candidatos a governador na maioria das unidades da federação.

Um dos estados que preocupa as lideranças peemedebistas é o Rio de Janeiro, atualmente administrado pelo governador Sérgio Cabral, do PMDB.

Como já está em seu segundo mandato no Palácio das Laranjeiras, Cabral pretende indicar seu vice, Fernando Pezão, como candidato a sua sucessão no próximo ano.
O PMDB quer reeditar a aliança com o PT no Rio, em 2014. No entanto, os petistas fluminenses cogitam lançar o senador Lindbergh Faria (PT-RJ) para a disputa estadual.

Na tentativa de frear as pretensões de Lindbergh, o presidente do PMDB do Rio, Jorge Picciani, vai usar o evento para ler um manifesto redigido pelo diretório estadual.

Segundo Raupp, o texto vai apelar para que, se possível, PT e PMDB evitem um palanque duplo para Dilma no estado.

O presidente do PT, Rui Falcão, também comparecerá à convenção peemedebista e deverá ler uma carta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que defende a manutenção da aliança PT-PMDB.

Fonte: Do G1

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *