Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil

Policiais do Paraná matam por engano sargento em Gravataí (RS)

Uma equipe da Polícia Civil do Paraná matou a tiros por engano um policial militar do Rio Grande do Sul em Gravataí (região metropolitana de Porto Alegre) nesta quarta-feira.

Segundo a Polícia Civil paranaense, três agentes do Estado estavam à paisana e haviam ido ao Rio Grande do Sul para investigar um caso de sequestro.

As versões sobre a morte, ocorrida na madrugada, ainda são desencontradas.

De acordo com a Brigada Militar gaúcha (equivalente à PM de outros Estados), o sargento Ariel da Silva, 40, estava de folga e pilotava uma moto, quando notou que o carro dos agentes era de outro Estado, considerou a movimentação estranha e decidiu anotar a placa.

A Polícia Civil do Paraná afirma que o sargento, sem farda, abordou os policiais civis, que entenderam que ele era um criminoso. Houve tiroteio. O sargento levou cinco tiros e morreu.

Por meio de sua assessoria, a polícia paranaense afirmou que o caso foi uma fatalidade.

A Brigada Militar, no entanto, diz que houve uma série de erros e que os agentes entraram na jurisdição do Rio Grande do Sul sem terem comunicado isso.

“Não existe isso de uma polícia sair de um Estado e entrar em outro. Foi um erro gravíssimo e culminou no que deu”, disse o tenente-coronel Dirceu Francisco Rodrigues Lopes.

A polícia paranaense afirma que a investigação seria feita em conjunto com policiais gaúchos.

Diz ainda que enviou outra equipe ao Rio Grande do Sul para apurar o ocorrido. Os três agentes prestaram depoimentos e já retornaram ao Paraná.

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *