Willames Costa

Compromisso com a informação

Pernambuco Polícia Recife

Português condenado por crimes sexuais é preso no Recife e extraditado


Um português de 31 anos condenado por crimes sexuais no seu país natal e procurado pela Polícia Internacional (Interpol) foi preso no Recife e entregue no Aeroporto Internacional do Recife, no bairro da Imbiribeira, Zona Sul da capital pernambucana, às autoridades portuguesas.
Segundo a Polícia Federal (PF), que procedeu com a ocorrência, as autoridades de Portugal realizaram a extradição do estrangeiro para o país europeu, onde ele deverá responder pelos crimes cometidos.
A prisão ocorreu por volta das 18h30 do último sábado (5) e foi divulgada pela PF no final da noite de domingo (6). Uma operação em parceria entre a Polícia Federal e a Polícia Militar de Pernambuco resultou na prisão do homem, que foi encontrado em Santo Amaro, na área central do Recife.
Em 2 de março de 2018, a pedido de Portugal ao governo brasileiro, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes decretou a prisão preventiva para extradição do português.
Ele havia sido detido dez dias depois, em 12 de março de 2018, em Santo Amaro. O português, que estava há dois anos irregular no Brasil, e já havia sido notificado pela PF para deixar o país, estava foragido desde então em locais de comunidades distantes dos grandes centros urbanos, segundo a PF.
Em Pernambuco, o português viveu nos Coelhos, área central do Recife, e na comunidade do V8, em Olinda, Região Metropolitana do Recife.
No Brasil, o português, que foi condenado por crimes sexuais contra mulheres em Portugal praticados em fevereiro de 2015, já havia sido autuado por três vezes pela Lei Maria da Penha. A pena a qual o estrangeiro foi condenado por estupro e ameaça qualificada é de 6 anos e dois meses.
O condenado ainda confessou que comandava um ponto de tráfico de drogas em Portugal e, por isso, fora denunciado pela própria mãe, o que o fez fugir de sua terra natal. Ele ainda se envolveu em briga com guardas municipais na Paraíba, quando estava foragido no estado vizinho.
Fonte: Folha de PE

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *