Willames Costa

Compromisso com a informação

Distrito Federal Educação

Professores hasteiam bandeira de sindicato e fecham Eixo Monumental

Após votar pela manutenção da greve iniciada há 30 dias, em assembleia realizada no fim da manhã desta terça-feira (10), os professores do Distrito Federal hastearam a bandeira do Sindicato dos Professores do DF (Sinpro-DF) em um dos três mastros localizados à frente do Palácio do Buriti, sede do governo local. O símbolo ficou ao lado da bandeira do Brasil e do Distrito Federal.

Professores do DF hasteiam bandeira de sindicato e fecham Eixo Monumental (Foto: Maiara Dornelles / G1)Professores fazem protesto em frente ao Palácio do Buriti, em Brasília, e hasteiam bandeira de sindicato (Foto: Maiara Dornelles / G1)

Por volta das 12h30, os professores fizeram protesto e fecharam o Eixo Monumental em frente ao Palácio do Buriti. No mesmo horário, o engarrafamento se estendia do Setor Hoteleiro Norte ao Palácio do Buriti, no sentido Rodoferroviária (N1).

Do outro lado (S1), o trânsito se estendia da Catedral Rainha da Paz até a altura do edifício do Ministério Público. O Parque da Cidade e o Setor Militar Urbano foram utilizados como vias alternativas, mas também apresentavam lentidão por causa do volume de veículos.

Após a assembleia, uma comissão de professores foi recebida pelo secretário de Governo, Paulo Tadeu. Cerca de 8 mil pessoas, entre professores e estudantes, acompanharam a assembleia e fazem parte da manifestação.

A greve dos professores da rede pública do Distrito Federal completa 30 dias nesta terça-feira (10) sem qualquer avanço nas negociações entre governo e docentes. De acordo com estimativas do Sindicato dos Professores (Sinpro), 70% da categoria está parada.

A Secretaria de Educação estima que 40% dos profissionais não estejam dando aula. Ao todo, o DF tem cerca de 540 mil alunos em 649 escolas.

O GDF declarou que não pretende entrar na Justiça contra a greve, mas promete cortar o a folha de pagamento dos docentes que aderiram ao movimento. Nesta segunda-feira (9), governo e sindicato se reuniram para discutir a pauta de reivindicação dos docentes, mas o encontro terminou sem acordo.

Segundo o secretário de Administração Pública, Wilmar Lacerda, o reajuste salarial para qualquer categoria éestá descartado por causa da Lei de Responsabilidade Fiscal. “Não vamos colocar o governo na ilegalidade e superar os limites permitidos por lei”, afirmou Lacerda.

Reivindicações
Os professores pedem reestruturação do plano de carreira com isonomia salarial em relação aos demais cargos de nível superior do GDF e reajuste gradual até 2014. Eles também reivindicam a implantação do plano de saúde e contratação dos profissionais aprovados no último concurso da Secretaria de Educação.

O GDF diz ter reajustado o auxílio-alimentação em 55%, elevando o valor para R$ 307. No DF, um professor apenas com graduação tem remuneração inicial de R$ 3.069,08 por 40 horas semanais, somado o salário-base a gratificações.

Se estiver no regime de dedicação exclusiva, o salário inicial, com as gratificações, é de R$ 4.226,47. Se o professor tiver mestrado, a remuneração sobe para R$ 3.572,60 (R$ 4.923,65 em dedicação exclusiva). Com doutorado, o professor ganha R$ 3.732,27 de salário inicial (R$ 5.144,73 em dedicação exclusiva). Os dados se referem ao início de carreira.

Fonte: Do G1 DF

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *