Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil Destaque

Rodovias federais continuam interditadas pela chuva em Minas

Diversas rodovias federais que cortam Minas Gerais parmanecem com o trânsito prejudicado nesta quinta-feira por causa das fortes chuvas que atingem o Estado, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal e o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

Leia mais notícias sobre as chuvas
Dique rompe e 4.000 deixam casas em Campos, no Rio
Minas tem 71 cidades em emergência devido às chuvas

A situação mais grave ocorre na BR-040. Em Itabirito, cidade vizinha a Ouro Preto, a queda de uma barreira deixa aberta apenas uma faixa em cada sentido da rodovia, na altura do km 583.

Ainda há risco de desabamento, segundo a PRF, e pode haver nova interdição caso seja necessário retirar do acostamento uma grande rocha que deslizou.

Já no km 632, em Conselheiro Lafaiete, o Dnit afirma que sinalizou e monitora o local, onde ocorreu uma queda de barreira. O órgão afirma que o tráfego está normalizado, mas a PRF diz que há risco de desabamento caso volte a chover na região.

Na BR-267, o tráfego está parcialmente interditado na altura do km 219, em Aratina. No km 449, em Machado, apenas uma faixa está liberada e o fluxo é alternado entre os dois sentidos.

Na BR-262, uma erosão na altura do km 174, em Bela Vista de Minas, também deixa apenas uma pista livre e o trânsito é alternado.

Segundo o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), há interdições ao tráfego também nas rodovias BR-393 (interdição parcial no km 42, em Além Paraíba) e BR-356 (desvio na altura do km 68, em Amarantina; e interdição total no km 82, em Ouro Preto; e interdição parcial no km 32, em Itabirito).

Na BR-354, no km 555, em Campo Belo, uma ponte sobre o rio São João foi interditada devido ao rompimento de um aterro na cabeceira. O tráfego está totalmente interditado, mas há desvios por cidades da região.

Segundo o Dnit, a ponte não apresenta problemas estruturais aparentes, mas as equipes aguardam a água abaixar para realizar reparos.

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *