Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil

Rui Falcão diz que PT não fará alianças com ‘qualquer’ partido

Ele falou que prioridade é buscar alianças com partidos da base de Dilma.
Eduardo Suplicy diz achar difícil aliança com PSD na disputa em São Paulo.

A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e o presidente do PT, Rui Falcão (à esq.) durante aniversário do partido (Foto: Wilson Pedrosa/Agência Estado)
A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti,
e o presidente do PT, Rui Falcão (à esq.) durante
aniversário do partido (Foto: Wilson Pedrosa/AE)

O presidente do PT, Rui Falcão, afirmou nesta sexta-feira (10), que o partido não deve “pensar no imediato” e fazer alianças com “qualquer” partido nas eleições municipais de outubro. “Devemos ter nitidez programática e não pensar no imediato fazendo qualquer tipo de aliança. Esse é um princípio geral”, disse no evento que comemora os 32 anos da sigla.

Indagado sobre a possibilidade de uma aliança com o PSD na disputa pela Prefeitura de São Paulo, Rui Falcão afirmou que o PT vai priorizar alianças com partidos da base aliada. No entanto, ele destacou que o “debate está aberto”.

“Nós temos uma definição em São Paulo de procurar os partidos da base aliada da presidenta Dilma, discutir um programa, e tem um encontro municipal que é quando se define coligações, no dia 2 de junho. Até lá o debate está aberto”, disse.

Em discurso durante o evento, a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, defendeu que o PT “tenha capacidade” de formar alianças com outros partidos, principalmente quando não for possível ter candidato próprio. Ela não citou a disputa em São Paulo.

A ministra passou pelo assunto alianças quando disse que o PT cresceu por ser “uma mistura de segmentos da sociedade brasileira”.”Temos que ter muito orgulho do que nós estamos tendo capacidade de fazer no Brasil, em cada um dos governos, dos estados. E não é só o PT. Temos a capacidade de construir aliança politica que nos permitiu construir mudanças e transformações.”

Marta
Sobre a entrada da senadora Marta Suplicy (PT-SP) na campanha eleitoral de Fernando Haddad, candidado do PT à prefeitura de SP, o presidente do partido afirmou: “A companheira Marta tem participado de todas as nossas campanhas.”

Nesta quinta (9), a senadora afirmou, pelo Twitter, que não participa “neste momento” da pré-campanha do ex-ministro da Educação para não correr o risco de ficar “de mãos dadas com o Kassab”, adversário em disputas passadas.

“Como posso, neste momento, me integrar à campanha do Haddad se corro o risco, de uma hora para outra, de me ver de mãos dadas com o Kassab?”, disse a senadora.

Ex-marido de Marta, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), afirmou que será “difícil” para o PT fazer campanha com o PSD na eleição pela Prefeitura de SP. “Eu acho que ela é um pouco difícil dado os objetivos um pouco diferentes”, afirmou.

Concessões
Em discurso, o presidente do PT voltou a defender a concessão à iniciativa privada de três aeroportos brasileiros, concretizada na última segunda-feira (6). Segundo Rui Falcão, o modelo de privatização realizado pelo atual governo é diferente do concretizado no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

“Nunca nesse país o PT foi contra a concessão de serviços públicos. [Éramos contra] a forma como entregavam as rodovias do país, com baixa outorga e tarifas escorchantes aos usuários”, disse.  “Querem nos impingir o rótulo de privatistas. Logo eles que venderam o país na bacia das almas”, completou.

Com Do G1, em Brasília

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *