Willames Costa

Compromisso com a informação

Mundo

Sarkozy e Cameron chegam a Trípoli; discurso do CNT é marcado por agradecimentos

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron chegaram nesta quinta-feira à Líbia em uma rápida visita. Essa foi a primeira visita de chefes de Estado à Líbia desde a tomada da capital Trípoli pelos rebeldes.

Os dois líderes europeus se reuniram na capital com o líder do CNT, Mustafa Abdel Khalil, e com seu primeiro-ministro, Mahmoud Jibril.

Sarkozy afirmou que o ditador Muammar Gaddafi precisa ser detido e advertiu que todos os que cometeram crimes terão que se submeter à Justiça internacional. Ele pediu ainda que os países onde se refugiaram alguns dos envolvidos nos crimes na Líbia cooperem na entrega dessas pessoas.

Segundo ele, não se trata de “ajuste de contas”, mas da aplicação de “regras de direito” internacional.

Suhaib Salem/Reuters
Nicolas Sarkozy e o líder dos rebeldes Mustafa Abdul Jalil realizam entrevista de imprensa em Trípoli
Nicolas Sarkozy e o líder dos rebeldes Mustafa Abdul Jalil realizam entrevista de imprensa em Trípoli

Em pronunciamento conjunto a jornalistas marcado por agradecimentos por parte dos líbios e comprometimento com a democracia, Jalil agradeceu o apoio econômico, político e militar afirmando que sem ele, os rebeldes não teriam conseguido ir adiante. “Estamos felizes com o apoio e esperamos completar nossa liberdade e a liberação do nosso território.”

Depois, Jibril pronunciou-se também agradecendo o apoio e afirmou que “ninguém irá impor uma agenda ou vontade”.

O discurso de Sarkozy enfatizou ainda que os líbios podem contar com o apoio da França. Depois, afirmou ser mentira o que a imprensa publica sobre a França e Reino Unido quererem obter vantagens políticas na Líbia.

Cameron, por sua vez, reconheceu as dificuldades, mas exaltou os rebeldes e a transformação que ele viu na capital Trípoli desde a tomada da cidade por rebeldes há algumas semanas. “Presto uma homenagem a esse povo corajoso que removeu um ditador do poder, a revolução é de vocês.”

O premiê britânico também afirmou que a ação da Otan ainda não acabou e é preciso continuar com a operação até que “todos os civis estejam protegidos”, o ditador Muammar Gaddafi seja encontrado e julgado e que as minas sejam encontradas — “e provada sua existência”. Para ele, descongelar os ativos líbios e devolvê-los para o povo é “a maior coisa que podem fazer”.

Os líderes europeus também visitaram um hospital na cidade. Segundo a mídia francesa, após essaa visita Cameron e Sarkozy seguem para Benghazi, onde deverão discursar na praça da Liberdade.

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *