Willames Costa

Compromisso com a informação

Esporte

Seleção brasileira foi apressada e imatura, avalia Mano Menezes

Mano Menezes orienta equipe durante jogo entre Brasil x México (Mike Stone-3.jun.2012/Reuters)

Mano Menezes viu na pressa e na falta de maturidade os motivos para a derrota sofrida ontem para o México, a pior desde que assumiu o comando da seleção brasileira.

“Fomos muitas vezes para o lance individual, e às vezes não é possível e nem necessário”, avaliou Mano. “Cedemos dez contra-ataques no primeiro tempo, porque apressamos demais o jogo.”

O treinador lembrou que essa foi apenas a terceira partida desse time. “Ainda não temos todas as respostas para as situações de jogo.”

Mano Menezes viu ainda um aspecto pedagógico no empurrão que Neymar tomou do mexicano Meza, após entrevero entre os dois no segundo tempo, na lateral.

“Os atacantes não gostam de marcação muito próxima, às vezes se incomodam um pouco, e temos falado muito sobre isso”, disse. “Em jogos como esse os espaços somem, a marcação é mais apertada, é também um aprendizado.”

O treinador se recusou a responder uma pergunta sobre o desempenho individual de Neymar diante dos mexicanos. “Ganhamos como equipe, perdemos como equipe, Neymar jogou como toda a seleção brasileira”, disse.

O Brasil bateu seu recorde de bolas perdidas nesta série de amistosos, segundo o Datafolha: 43. Contra a Dinamarca, por exemplo, a seleção perdeu 24 bolas.

“O México foi pragmático, soube aproveitar nossos erros”, comentou o treinador.

Entre os jogadores, o discurso padrão foi de “aprender com os erros cometidos”.

“Por um lado foi até boa essa derrota”, disse o camisa 10 Oscar. “Não é o fim do mundo, o ambiente continua bom, isso serve para a gente refletir e não repetir erros.”

O zagueiro Thiago Silva prometeu que “contra a Argentina, podem ter certeza de que vai ser diferente”.

Os jogadores e Mano estão sob olhar atento do presidente da CBF, José Maria Marin, que foi ontem pela primeira vez ao vestiário do time.

O cartola não esteve nas partidas contra a Dinamarca e diante dos EUA.

Ontem, esteve com o técnico e os jogadores antes e depois da partida em Dallas.

Como sempre, levou com ele o presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero, e o vice da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos.

O presidente e seus amigos e conselheiros estarão colados na seleção até sábado, no jogo da Argentina, em Nova Jersey.

Fonte: Da Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *