Willames Costa

Compromisso com a informação

Educação

Suposto esquema de fraude em universidade do MA é investigado

A Polícia Civil do Maranhão investiga um suposto esquema de fraude, instalado em uma universidade privada, no qual se cobrava de R$ 800 a R$ 1.500 para alterar a nota de alunos.

Cerca de 600 estudantes da Uniceuma, a maior universidade privada do Maranhão, tiveram notas modificadas, conseguindo assim aprovação em disciplinas nas quais haviam sido reprovados.

O delegado Breno Galdino de Araújo, do departamento de Combate a Crimes Tecnológicos, disse que os estudantes já ouvidos negaram a existência do esquema.

Segundo o delegado, eles disseram não saber a razão de as notas terem sido mudadas.

As fraudes foram detectadas em notas de alunos de cursos como medicina, direito e fisioterapia.

A investigação foi aberta a partir de um pedido da própria universidade, que suspeitou da fraude. A Uniceuma, que tem cerca de 10 mil alunos em quatro campi, fez uma auditoria interna que apontou divergências nas notas que constam no sistema e aquelas dadas pelos professores.

A partir daí, o caso foi levado para a polícia.

Segundo o delegado, há casos de estudantes que nem tinham feito as provas da disciplina, mas apareciam no sistema como aprovados.

A Uniceuma divulgou uma nota informando que já corrigiu as irregularidades e acionou as autoridades competentes para apurar o caso.

A investigação da polícia apontou que as barreiras de segurança do sistema (firewalls) não foram quebradas e que foram criados usuários fantasmas, com senhas próprias, a partir das quais eram feitas as alterações das notas.

O sistema é operado por funcionários da universidade e foi desenvolvido internamente.

Segundo o delegado, é provável que a fraude tenha partido de alguém que conhecia bem o sistema e tinha a senha do administrador. Nenhum participante do esquema foi identificado.

Para o delegado, os fraudadores podem ter alterado algumas notas à revelia dos estudantes para despistar a existência de um esquema.

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *