Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil

Teresópolis está em estágio de atenção após chuva forte na serra

Queda de Barreira em Teresópolis (Foto: Tássia Thum/G1)Uma das quedas de barreiras na rodovia Rio-Teresópolis, a BR-116 (Foto: Tássia Thum/G1)

O secretário de estado de Defesa Civil, coronel Sérgio Simões, disse na tarde deste sábado (7) que o município de Teresópolis, na Região Serrana do Rio, está em estágio de atenção para a ocorrência de chuva fraca a moderada no final desta tarde.

“A previsão para hoje é de chuva fraca a moderada, que é uma chuva que não causa transtorno. Mas ainda assim, em razão das mortes que ocorreram nessa noite, é claro que todo o sistema dos governos do estado e da cidade estão mobilizados, assim como as comunidades todas estão mobilizadas para medidas preventivas. Não diria que Teresópolis está em alerta, e sim, em estágio de atenção”, afirmou o secretário, adiantando que, por enquanto, não há outras informações sobre desaparecidos.

Mapa copm a localização de Teresópolis (Foto: Arte/G1)
Mapa copm a localização de Teresópolis (Foto: Arte/G1)

Simões sobrevoou o município junto com geólogos, para detectar pontos propícios a deslizamentos de terra. A Secretaria de estado de Defesa Civil estima que o número de desalojados seja inferior a 300.

“Tivemos na noite de ontem a ocorrência de oito pontos de deslizamento. Quatro destes causaram a morte de cinco pessoas. O último resgate, o corpo de uma senhora no bairro de Santa Cecília, foi feito nessa madrugada. Isso encerrou o processo inicial de ação específica do Corpo de Bombeiros, de busca e resgate de corpos soterrados”, explicou Simões.

Por causa da chuva, foram mobilizados 120 bombeiros do quartel de Teresópolis e outros 30 de quarteis do Rio de Janeiro.

Sirenes de alerta
Simões também comentou a reclamação dos moradores de alguns bairros de Teresópolis, que se queixaram da demora do acionamento das sirenes de alerta para temporais. O coronel explicou que o sistema emite um alerta sonoro por cinco minutos, com intervalos de 15 minutos. O equipamento é acionado quando o nível de chuva atinge 40mm em uma hora. Líderes comunitários das regiões que possuem o sistema têm o número do celular cadastrado pela prefeitura e recebem através de SMS as informações sobre as características da chuva.

“Se houve falha, demora ou organização não adequada, a gente quer é melhorar esse sistema. O poder público não vai chegar a tempo numa sequência de eventos simultâneos, como numa chuva que atinge uma grande área da cidade. O Corpo de Bombeiros não vai ter viaturas e pessoal para chegar em todos os eventos com a presteza. Então, a solução é envolver e treinar a comunidade.”

Vinte deslizamentos foram registrados
De acordo com a Defesa Civil de Teresópolis, 20 deslizamentos foram registrados entre 50 ocorrências devido às fortes chuvas de sexta (6). Cinco pessoas morreram e já foram identificadas pelo Instituto Médico Legal (IML). Outras 15 ficaram feridas. O número oficial de desalojados e desabrigados, até 11h deste sábado (7), era de 414. Os bairros mais atingidos por deslizamentos de terra são Bom Retiro, Coreia, Perpétuo, Pimentel, Quinta Lebrão, Santa Cecília e Vale da Revolta.

Os cinco mortos, de acordo com o IML, são: Joyce Rosa de Araújo, 16 anos, encontrada na Quinta Lebrão; Jaílson da Cunha, 26, morto no bairro Pimentel; Rosângela Moraes de Oliveira, 26, em Santa Cecília; e Keila Pires, 26, e Maria Helena, 54, ambas achadas no Bom Retiro.

Sinais de destruição
Nesta manhã, ainda era possível ver os sinais de destruição provocados pela força da água. Na Rua Flávio Bertoluzzi de Souza, próxima a feirinha do alto, os canteiros ficaram destruídos e as pedras ocupam as calçadas. Um carro foi destruído devido à queda de um muro.

Depois do temporal, Teresópolis amanheceu com tempo nublado, mas seco, sem chuva neste sábado. Na chegada à cidade, na localidade conhecida como Soberbo, próximo ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos, houve um deslizamento, mas sem interdição da Rodovia Rio-Teresópolis, que está suja de barro.

Segundo a Defesa Civil do município, em quatro horas choveu mais do que o esperado no município para o mês inteiro. Mais cedo, o Rio Bengalas, no Centro da cidade, chegou a transbordar, mas as águas já retornaram ao nível normal.

Rua em Teresópolis (Foto: Tássia Thum/G1)
Muro destruiu carro no bairro Granja Guarani (Foto:
Tássia Thum/G1)

Todos os rios da Região Serrana estão em estágio de atenção, ainda de acordo com o Inea. A Defesa Civil do estado informou que as equipes estão mobilizadas nos dois municípios.

A Rio-Teresópolis, principal ligação entre a capital e a cidade da região serrana, que chegou a ficar quase 3 horas fechada nos dois sentidos, reabriu ainda na noite de sexta. De acordo com a CRT, concessionária responsável pela via, a interdição ocorreu por medida preventiva, por causa da chuva forte.

Em janeiro de 2011, a chuva que devastou municípios da Região Serrana deixou mais de 900 mortos.

Em Nova Friburgo, também na Região Serrana, a chuva forte do fim da tarde de sexta provocou um deslizamento de terra na RJ-142, estrada que liga os distritos de Mury a Lumiar.

Fonte: Do G1, em Teresópolis

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *